Consumo de bebidas premium dentro do lar: momento de indulgência para o brasileiro

Este artigo faz parte da série destacando o estudo ‘10 Principais Tendências Globais de Consumo’, disponível em português para download.

Com aumento da penetração dos smartphones, mais consumidores passaram a ser bombardeados pelas mídias sociais, notificações de e-mail e excesso de informação na internet. A tendência “Encontrando meu JOMO” (sigla em inglês para Joy Of Missing Out, ou alegria de ficar de fora) refere-se ao interesse do consumidor em ter mais tempo para si mesmo, sendo mais seletivo com suas atividades.

A conectividade e as redes sociais transformaram o prazer da vida social em obrigação. A pressão constante de reagir instantaneamente às notificações juntamente com a crescente onipresença do trabalho transformou nossas vidas em um comprometimento, 24 horas todos os dias, para atender às expectativas dos outros. Para se desconectar, os consumidores estão escolhendo se afastar temporariamente de seus celulares para se concentrarem em experiências da vida real.

Um dos tópicos mais fortes na indústria de bebidas foi o consumo dentro do lar versus em bares e restaurantes. Observou-se que os consumidores apresentam maior interesse pela experimentação e por marcas de maior valor agregado no consumo dentro do lar. Eles estão se permitindo consumir produtos mais sofisticados como uma forma de indulgencia a si mesmo.

Eles estão se desvencilhando da necessidade de permanecerem conectados e compartilharem seus hábitos. Isso está impactando as marcas que consomem, uma vez que passam a escolher a marca de acordo com a ocasião de consumo: uma marca para tomar com os amigos, nos bares; outras em ocasiões como churrascos; outras em casa, para quando estão sozinhos.

Uma das categorias mais beneficiadas por esse movimento foi o segmento de cervejas premium. Segundo dados da Euromonitor International, o consumo de cervejas premium no Brasil cresceu em média 3,7% ao ano entre 2012 e 2017. Contudo, considerando apenas o crescimento desse consumo no varejo, a taxa foi ainda maior de 4,4% ao ano no mesmo período.

 

*Projeção

Fonte: Euromonitor International

Embora exista uma projeção de recuperação do canal de foodservice para a venda de cervejas no longo-prazo, não há expectativas de retração nas vendas no varejo. Isso porque a ocasião de consumo dentro do lar já conquistou seu espaço com os brasileiros, principalmente entre aqueles que ativamente buscam um momento mais intimista, para relaxarem e cuidarem de si mesmos, enquanto degustam uma cerveja superior.

Para mais informações sobre as mudanças nos valores e prioridades dos consumidores e como estes estão causando disrupção nos negócios ao redor do mundo, faça o download do nosso relatório ‘10 Principais Tendências Globais de Consumo’, disponível em português.