Crise Movimenta Segmento de Embalagens

O cenário econômico negativo, com uma redução da renda disponível em um grande número de lares do Brasil, está movimentando o segmento de embalagens no país. Segundo dados da Euromonitor, o segmento de embalagens se manteve estável entre 2015 e 2016, movimentando 164 bilhões de unidades no último ano, considerando as vendas de alimentos, bebidas, produtos de beleza e de limpeza. As categorias mais afetadas foram as embalagens de metal e vidro, que apresentaram queda de 1,4% e 0,8%, respectivamente, especialmente afetadas pela queda nas vendas de cerveja e refrigerantes; já as embalagens cartonadas foi a única categoria a apresentar desempenho positivo, com crescimento de 2%. A Euromonitor projeta um crescimento de 1,2% no segmento de embalagens para 2017.

A a recessão econômica impulsionou uma polarização no tamanho das embalagens. Com a renda afetada, o consumidor teve que reduzir o consumo de categorias não-essenciais, como chocolates e sucos. Assim, passou a buscar embalagens menores cujo desembolso imediato é menor. Por outro lado, as embalagens tamanho família para os produtos consumidos mais frequentemente, como produtos de limpeza, também se destacaram uma vez que oferecem uma economia maior em volume.

Para saber mais sobre o assunto, participe do nosso webinar dia 17 de outubro às 14 horas. O cadastro é gratuito e pode ser feito através do link: Tendências no Mercado de Embalagens do Brasil